Home Page Home Page Facebook Fale Conosco Administrativo

Artigo


Palavras e Gestos na Liturgia da Santa Missa

Esta publicação foi criada em: 30/08/2015.
1240 pessoas visitaram esta página.


Palavra e gesto na liturgia da Santa Missa
Sacrifício
Santa Missa é um sacrifício. Sacrifício de Cristo mas também, num certo sentido o nosso sacrifício que refere-se não só à vida espiritual mas também ao nosso corpo. A pessoa que vem para Missa leva à igreja não somente o espírito dela mas também leva o corpo. E o seu corpo também deve participar da oração. Devemos também rezar com o nosso corpo, isto é com nossa postura física. As nossas mãos devem rezar, os nossos lábios, os nossos olhos os nossos pés...
É por isso que na igreja costumamos ter diversas imagens e pinturas sacras para que os nossos olhos pudessem ter onde repousar. O presbitério bem arrumado nos convida para que os nossos olhos parem de olhar para trás, para o que ficou fora da igreja. Para que paremos de pensar no que a gente pensou antes de entrar aqui. Tudo isso deve nos recordar da santidade presente na nossa vida.
Palavra de Deus
Durante a santa Missa a mais importante é a Palavra. Ela é fundamental. Deus vem até nós pela palavra. Numa certa altura da história humana a Palavra torna-se carne, para que Cristo pudesse vir até nos na carne. E essa participação na palavra é muito importante.
Primeiramente vem a questão de atraso. Desde que o mundo é mundo havia pessoas que atrasavam para Santa Missa e, sinceramente não acredito que com vocês possa ser diferente. É algo frequente, poderíamos até dizer – normal. Mas, só num certo sentido normal pois, afinal de contas não é bom quando alguém atrasa para esta parte da liturgia eucarística que é dedicada à meditação da palavra. Esforcemo-nos para que esses atrasos sejam cada vez mais raros. Tenham caridade com os padres pois nós podemos contar com bastante acerto quantos é que atrasam. É claro que não se trata disso que contamos. O problema é que cada um que entra atrasado introduz certa desordem entre os que já estão rezando. Estamos na igreja para nos ajudarmos mutuamente e não atrapalharmos a nossa oração.
Se então você já atrasou procure não demostrar a todos que veio, seja discreto.
Postura
Participamos como pessoa humana inteira, nem só de corpo e nem só de espírito. Pensemos então em postura que não pode ser igual à quando assistimos à televisão. Na igreja devemos ter uma postura diferente da que tomamos quando a gente senta à mesa para tomar um café ou uma cerveja. O nosso corpo também participa da oração. Na nossa comunidade percebo que há um certo receio de se aproximar do altar...
Parece haver uma barreira que nos impede, mas ao final das contas a gente vai à igreja para estar perto do altar, perto de Deus. Após a reforma litúrgica o altar e o padre ficou de frente para o povo, para estar perto, para estarmos em torno do altar.
Respostas e canto – nossa voz
Com a nossa voz podemos ajudar na oração dos nossos irmãos ou podemos também distrai-los atrapalhando terrivelmente. É importante não só o que mas também como falamos e também é importante se somos todos a falar. Por exemplo não é bom rezar o terço durante a santa Missa... O terço é uma grande e preciosa oração da Igreja, mas é uma oração para outro tempo, outra oportunidade.
Quando o padre diz: O senhor esteja convosco deve se responder e com teu espírito. Pois isso é algo importante: Deus está com vocês. E eu espero ouvir que vocês me digam se Deus também está comigo ou não está. E é importante fazer as respostas de forma certa, assim como o pede a liturgia. Há falas e falas. Hoje em dia aprendemos a gritar pois pensamos se eu não gritar mais alto que os outros ninguém vai me dar atenção. A nossa voz sempre traz uma carga emocional, ela demostra a bondade ou a maldade humana. Às vezes alguém pode nos falar de algo difícil, vergonhoso e chato para nós mas facilmente lhe damos ouvidos pois fala do jeito certo, há calor na sua voz. Às vezes alguém pode dizer desculpa mas o faz de tal forma que esse desculpa nos ofende ainda mais. Na liturgia então não se trata de falar alto mas de falar de tal forma que essa nossa fala, canto... manifeste oração.
Procissão de comunhão
São basicamente dois gestos que expressam a nossa devoção na hora de receber a santa Comunhão. Podemos nos ajoelhar – pois tocamos o que é mais importante na nossa vida. Podemos também receber a santa Comunhão em pé, vindo em procissão. O que simboliza esse gesto? Quem está em pé, encontra-se no caminho. A comunhão é o alimento. Quem está a caminho tem que se alimentar para poder prosseguir. Isso não é menos respeitoso do que se ajoelhar. Então nos aproximamos da comunhão e com ela voltamos. Esses poucos passos de volta são de suma importância! Por quê? Pois eles expressam a nossa esperança. Quem tem esperança sabe que está a caminho. Quem perde a esperança, é como se esse caminho abandonasse, como se todos os caminhos desabassem sob seus pés.
São coisas pequenas mas importantes. Importantes pois devemos nos ajudar mutualmente a celebrar a Eucaristia cada vez melhor. Quando nós nos ajudamos mutualmente a celebrar melhor e melhor participar da santa missa então ela torna se de fato uma oração comunitária, oração de todos e para todos.




Criado por: guiamongagua.com.br


Av. São Paulo, 1.679 - Centro - Mongaguá/SP
Tel: (13) 3448-5532 - paroquia.mongagua@gmail.com