Home Page Home Page Facebook Fale Conosco Administrativo

Formação


Pais & Filhos - a catequese começa em casa.

Esta publicação foi criada em: 27/01/2017.
1517 pessoas visitaram esta página.


O que é catequizar?
É fazer ecoar Jesus e seu Evangelho a todas as pessoas. Catequista é aquele que, como João Batista, apresenta Jesus e O propõe como o Salvador (cf. Jo 1,29).
Existe uma só catequese?
Sim, porque existe um só Cristo e apenas um Evangelho. Mas a catequese é apresentada de formas diferentes nas diferentes idades dos catequizandos. Desde o ventre materno, a criança é catequizada pela família, especialmente pelo pai e pela mãe. A partir dos 8/9 anos, recebe a catequese da comunidade, e continua recebendo a da família. Após a Confirmação, a catequese continua por meio de participação ativa na comunidade, e o catequizando prossegue sendo evangelizado – e evangelizando – a família.
A catequese deve, então, ser permanente?
Sim. Os períodos próprios da catequese passam à medida que a criança cresce, mas a catequese, enquanto conhecimento e adesão a Jesus Cristo, nunca termina; ala vai até o fim da nossa vida terrena. O que o evangelista Lucas falou de Jesus, pode também ser aplicado a nós: “Ele crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens” (Lc 2,52).
Ser catequizando é conhecer e caminhar com Jesus?
Sim. Deve acontecer conosco o que aconteceu com os discípulos de Emaús (cf. Lc 24 13-35): enquanto somos catequizados, “os nossos corações devem se abrasar” (Lc 24, 32) para que tendo encontrado Jesus (Lc 24,31) O anunciemos a todos (Lc 24, 33-35) com alegria.
Quais são as características da catequese familiar?
O anúncio e o testemunho. Pelo anúncio os pais partilham com os filhos o que sabem sobre Jesus e pelo testemunho mostram aos filhos que de fatos acreditam no que ensinam. Disse o papa Francisco: “É bonito quando as mães ensinam os filhos pequenos a enviar um beijo a Jesus ou a Nossa Senhora. Quanta ternura há nisto! Naquele momento, o coração das crianças transforma-se em lugar de oração” (Amoris Laetitia, 287). Os bispos da América Latina, por sua vez, fizeram um ótimo resumo no que consiste a catequese familiar: “A catequese em família ajuda no crescimento da fé dos filhos, ao longo do ciclo evolutivo. Precede e acompanha a catequese das crianças que vivem uma forte experiência de participação eclesial por conta da iniciação sacramental; acompanha atitudes cristãs; facilita o caminho das opções cristãs na juventude e reafirma nos adultos suas convicções cristãs enquanto apoiam e compartilham sua fé e seu testemunho com os membros jovens da família. No âmbito familiar, cada um a seu modo, conforme sua idade, sem amadurecimento e sua experiência de fé” (CELAM, Manual de Catequética, n. 4.1).
Quais são as características da catequese comunitária?
Ela apresenta, de forma ordenada, didática e crescente, a pessoa de Jesus e seu Evangelho (A História da Salvação). É a mesma catequese que os pais transmitem em casa, mas agora centrada na doutrina que leva à vivência. A respeito da catequese comunitária, afirmam os Bispos da América Latina: “O cristão nasce na Igreja e vai-se incorporando progressivamente a ela. A comunidade é responsável pela educação na fé de seus membros e pelo processo pelo qual os catequizandos vão adquirindo a maturidade da vida eclesial. A ação catequética expressa a vida da comunidade enquanto se vão incorporando a ela pelos sacramentos da iniciação cristã” (CELAM, Manual de Catequética, n. 4.2). Para completar, as palavras dos Bispos do Brasil: “A iniciação cristã não deve ser obra somente dos catequistas ou dos presbíteros, mas da comunidade dos fiéis. Sem o compromisso da comunidade, como sujeito responsável pela catequese, os catequistas pouco podem realizar. Cabe à comunidade cristã acompanhar a organização da catequese, a qualificação dos catequistas e a acolhida dos catequizandos” (CNBB, Diretório Nacional de Catequese, n. 237).
A catequese familiar e a catequese comunitária devem andar juntas?
Sempre! Os pais, porque amam os seus filhos, os encaminham na fé; a comunidade, porque ama aqueles que Deus assumiu como filhos no Batismo, os introduz na doutrina cristã de forma sistemática e aprofundada. Assim, catequese familiar e catequese comunitária se completam.
Quando os pais são catequistas dos filhos?
Quando conduzem os filhos a Deus, apresentando-O como Aquele que dá significado à vida. Entre outras, eis algumas práticas dos pais que, direta ou indiretamente catequizam os filhos:
1) TESTEMUNHAR a fé praticando o que professam;
2) ENSINAR as orações do dia a dia, como o Pai-Nosso, a Ave-Maria, o Sinal da Cruz, o Santo-Anjo;
3) REZAR em família, mesmo se o tempo permitir apenas um breve momento de oração;
4) PARTICIPAR das celebrações da comunidade, explicando às crianças o que elas tiverem a capacidade de assimilar;
5) EXPLICAR, utilizando de linguagem acessível e ilustrações, a vida de Jesus;
6) LER a Sagrada Escritura juntos, especialmente as histórias e as parábolas mais fáceis de serem entendidas;
7) APRESENTAR Maria e a devoção a ela;
8) MOSTRAR figuras religiosas e comentar sobre elas;
9) CONTAR histórias de santos e santas;
10) AJUDAR as crianças a entender o que é a igreja-construção e a Igreja-Povo de Deus;
11) LEVAR as crianças para que participem das celebrações e atividades preparadas e destinadas especialmente para elas, como a Missa com as crianças;
12) ENSINAR a elas cantos e hinos religiosos, e estimulá-las a cantar;
13) VER juntos filmes religiosos.
Estas são apenas algumas sugestões; os pais podem e devem colocar a sua criatividade para funcionar também no que diz respeito à catequese familiar dos filhos.
Quando os pais são catequizados pelos filhos?
Quando acolhem os filhos e suas descobertas da vida e da fé. É próprio das crianças, em sua simplicidade, serem honestas no que dizem. Os pais que sabem ouvi-las terão muitas oportunidades de serem catequizados por elas.
E os pais que tiveram pouca ou nenhuma formação religiosa, também podem ser catequistas de seus filhos?
Não só podem, como devem. Iniciando pelo testemunho de vida e, se for o caso, aprendendo o que não sabem para depois ensiná-lo aos filhos. Nunca é demais lembrar: a vida diária dos pais, o amor entre esposo e esposa, e de ambos para com os filhos, o respeito, a sinceridade e a honestidade são partes integrantes da catequese que só os pais podem dar aos filhos enquanto estes estão em casa.
(Pe. Cristovam Iubel)




Criado por: guiamongagua.com.br


Av. São Paulo, 1.679 - Centro - Mongaguá/SP
Tel: (13) 3448-5532 - paroquia.mongagua@gmail.com