Home Page Home Page Facebook Fale Conosco Administrativo

Artigo


Drogas e Conflitos Familiares

Esta publicação foi criada em: 02/05/2013.
1205 pessoas visitaram esta página.


Freqüentemente ouvimos afirmações do tipo: eu nunca pensei que isso fosse acontecer na minha família! é claro que ninguém espera, e muito menos deseja que um membro da família, ou um amigo, venha a se envolver com drogas. mas, infelizmente, isto pode acontecer. principalmente com as proporções epidêmicas que o uso e o abuso das drogas vêm atingindo no mundo inteiro. o problema, muitas vezes, começa na própria família, com o uso abusivo de drogas lícitas como o álcool, o cigarro.
O combate pode ser feito por várias ações: a repressão ao tráfico, a redução da produção e, principalmente, pela prevenção, reduzindo o consumo e evitando que as pessoas comecem a consumir. é a ação mais eficaz, sem dúvida, e pode ser praticada por todos nós.
A educação dos filhos é uma das tarefas mais importantes que podemos realizar, mas é também aquela para a qual menos nos preparamos. quase todos aprenderam a ser pais seguindo o exemplo que nos deram nossos próprios pais. cada família tem suas expectativas de conduta que vêm determinadas pelos princípios. com muita freqüência são estes princípios entenda como valores morais ou virtudes que ajudam nossos filhos a decidir que não utilizarão drogas. os princípios sociais, familiares e religiosos são os que dão aos jovens os motivos para dizer “não” e os que os ajudam a manter sua decisão.
Como ajudar os filhos?
Afeto: manifestações de carinho e amor são sempre bem vindas. abrace, beije, incentive os filhos, mesmo em público. fortaleça os vínculos entre os membros da família, incentivando o clima de afetividade, sinceridade e companheirismo entre todos. lembremos que ate os anos 60 o consumo de drogas era feitas, em geral, de forma solitária e secreta, hoje predomina os guetos, certamente com influencia da mídia, de shows e casas de espetáculos, ou seja, o “vazio” encontrado em casa vai ser preenchido de forma não sadia nas tribos, nas baladas etc. hoje temos até uma espécie de rito de iniciação, onde se inclui romper com as normas tradicionais, busca de auto-afirmação e pertença a um grupo.
Ambiente e diálogo: reduza a influência negativa que possa vir de outros grupos. faça com que o ambiente familiar seja atrativo e aconchegante. faça com que seu filho se sinta bem em sua própria casa. ache tempo para conversas e consultas freqüentes sobre qualquer assunto. reserve um tempo especial para cada membro da família. mantenha em casa um clima de diálogo franco e aberto. converse com seus filhos sobre o consumo de álcool e de outras drogas, mas também sobre demais assuntos que fazem parte de seus interesses, principalmente a prática de esportes, para este ultimo, o estado deve entrar com políticas esportivas de forma concreta, não deveria existe um só município, por menor que seja sem um complexo esportivo.
O exemplo: álcool e cigarro são drogas lícitas, mas evite consumi-las em excesso e de forma irresponsável, se não quiser estimular os filhos a fazer o mesmo. viva o que você recomenda aos seus filhos. não vale o faça o que digo, mas não faça o que eu faço mesmo que os contestem ou questionem, eles terão nos pais os melhores exemplos e guias.
Liberdade e responsabilidade: mais autonomia significa maior capacidade de decisão. incentive a responsabilidade de cada um. respeite os valores e os sentimentos de seu filho. evite criticá-lo o tempo todo. encoraje as atividades criativas e saudáveis de seus filhos, ajude-os a lidar com as pessoas de seu meio, motive-os a tomar decisões, ensine-os a assumir responsabilidades e estimule-os a desenvolver valores fortes e o senso crítico diante das mais diferentes situações, inclusive das drogas. a juventude passa hoje por uma espécie de estabilizador, um adormecedor no que diz respeito à consciência, social, política, ambiental, religiosa etc. basta prestar atenção no que os nossos jovens cantam, vêem na tv, é uma alienação geral. esta crise de valores é fruto de uma falta de harmonia interior da pessoa.
Regras claras: imponha limites. quando fizer alguma proibição, não deixe dúvida sobre suas razões. o amor de pai e de mãe precisa ser exigente. esse amor acompanha, coloca limites, exige comportamentos, orienta respostas, deixa as regras claras e alerta para os sinais de fraqueza. confie em seus filhos.
Finalizo afirmando que o está em jogo são: vidas humanas, a família, o futuro. cada filho drogado é um filho nosso, por que a vida é um dom para si, e para os outros. “neste caso não vale a expressão: “ a vida é minha eu faço o que eu quero” ou “ deixe a vida me levar vida leva eu “, e se nossa vida estiver ferida, podre, sem sentido, sem rumo? a vida é o primeiro dom que o ser humano recebe e, como dom, a Deus pertence.




Criado por: guiamongagua.com.br


Av. São Paulo, 1.679 - Centro - Mongaguá/SP
Tel: (13) 3448-5532 - paroquia.mongagua@gmail.com